Buscar
  • portalbuglatino

Poesia mesmo na poeira



Mesmo na poeira, mesmo no vento.

Mesmo no instante.

Quase nula, quase tudo.

Aí está. Sempre ela.

Sempre a poesia.


1. Poesia indicada pelo Bug Latino


“Poeira no vento”


“Eu fecho meus olhos

Apenas por um momento

E o momento se foi

Todos os meus sonhos

Passam diante dos meus olhos, uma curiosidade


Poeira ao vento

Tudo o que nós somos é poeira no vento


A mesma velha música

Apenas uma gota d'água em um mar infinito

Tudo o que fazemos

Cai em pedaços embora nós nos recusemos a enxergar


Poeira ao vento

Tudo o que somos é poeira no vento


Agora, não fique esperando

Nada dura para sempre, apenas a terra e o céu

O tempo foge

E todo o seu dinheiro não comprará outro minuto


Poeira ao vento

Tudo o que somos é poeira no vento

Tudo o que somos é poeira no vento

Poeira ao vento

Tudo isso é poeira no vento

Tudo isso é poeira no vento

Vento”


Compositores: Kerry Livgren / Kerry A Livgren

Grupo musical Kansas


Kansas - Dust In The Wind (Legendado)

https://www.youtube.com/watch?v=4Tj6baO8e6E


2. Poesia indicada por Maria Lúcia Levert


“IMAGEM QUASE NULA”


"Imagem quase nula ou tão sóbria e oculta

como uma lâmpada no dia, como uma folha entre as folhas.

Tenaz e fugidia, em subtis alentos

Está e não está no seu domínio intacto.

Perfume obscuro do sangue do silêncio.

E todavia é clara, evidente e quase nítida.

Distrai-se no espaço, nos seus altos terraços.

Está talvez a meu lado gentil e sossegada.

Respiro sem o saber o hálito harmonioso.

Não há presença mais leve, nem há glória mais nua.

Entre os nomes e as árvores é um fulgor tranquilo

que anima as palavras simples e voluptuosas.

Entre ervas e saliva os sonhos são verdades

transformadas em madeira, em pedras, em insectos.

Nada se perde no sono das suas calmas sílabas."


António Ramos Rosa

in Volante Verde, 1986

80 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo