Buscar
  • portalbuglatino

Poesia florida e simples


Saber das coisas, das flores, da vida. Saber as palavras, saber os sentimentos, as emoções. Poesia precisa de conhecimento sobre flores ou sobre dizer de nós. Seja o que for, precisa as palavras disso que queremos dizer.


1. Poesia indicada pelo Bug Latino


“A Eugênia”


“Imagem santa que entrevejo em sonho,

Sempre, sempre a cantar,

Criatura inocente, anjo risonho,

Que me ensinaste a amar!


Meu doce amor! Calhandra maviosa

Que canta dentro em mim;

Minha esperança tímida e formosa,

Meu sonho de marfim!


Amaranto do Céu, flor encantada,

Mimoso colibri;

Minha açucena pálida e magoada,

Meu níveo bogari;


Gota de orvalho a tremular n’um lírio

Que mal começa a abrir;

Ó tu que apagas meu cruel martírio

E que me fazes rir;


Madressilva entreaberta, lira de ouro,

Celeste beija-flor;

Minha camélia, meu sorriso louro,

Amor de meu amor;


Guarda estes versos que só dizem mágoa

E tristezas sem fim…

Deixa-os no seio como a gota d’água

No cálix de um jasmim…”


Auta de Souza



2. Poesia indicada por Maria Lúcia Levert


“O corpo não espera”


“O corpo não espera. Não. Por nós

ou pelo amor. Este pousar de mãos,

tão reticente e que interroga a sós

a tépida secura acetinada,

a que palpita por adivinhada

em solitários movimentos vãos;

este pousar em que não estamos nós,

mas uma sêde, uma memória, tudo

o que sabemos de tocar desnudo

o corpo que não espera; este pousar

que não conhece, nada vê, nem nada

ousa temer no seu temor agudo...


Tem tanta pressa o corpo! E já passou,

quando um de nós ou quando o amor chegou.”


Jorge de Sena

33 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo