top of page
Buscar
  • Foto do escritorportalbuglatino

Poesia de Ser



Clifford Possum Tjapaltjarri

“A Jornada”

“Um dia você finalmente soube

o que tinha que fazer, e começou,

embora as vozes à sua volta

continuassem berrando

seus maus conselhos –

embora a casa toda

começasse a balançar

e você sentisse o velho puxão

nos seus calcanhares.

“Remende minha vida!”

cada voz clamou.

Mas você não parou.

Você sabia o que tinha que fazer,

embora o vento tateasse

com seus dedos rijos

suas próprias bases,

e embora sua melancolia

fosse terrível.

Já era suficientemente

tarde, e uma noite selvagem,

e a estrada estava cheia de galhos

e pedras espalhados.

Mas pouco a pouco

conforme você deixava aquelas vozes para trás,

as estrelas começaram a queimar

através das camadas de nuvens,

e havia uma nova voz

que você lentamente

reconheceu como sua,

e que se manteve a seu lado

enquanto você avançava cada vez mais fundo

no mundo,

decidida a fazer

a única coisa que poderia fazer –

determinada a salvar

a única vida que poderia salvar.”

Mary Oliver

Trad.: Nelson Santander

 

 

“O Sobrevivente”

“Impossível compor um poema a essa altura da evolução da humanidade.

Impossível escrever um poema - uma linha que seja - de verdadeira poesia.

O último trovador morreu em 1914.

Tinha um nome de que ninguém se lembra mais.

 

Há máquinas terrivelmente complicadas para as necessidades mais simples.

Se quer fumar um charuto aperte um botão.

Paletós abotoam-se por eletricidade.

Amor se faz pelo sem-fio.

Não precisa estômago para digestão.

 

Um sábio declarou a O Jornal que ainda falta

muito para atingirmos um nível razoável de

cultura. Mas até lá, felizmente, estarei morto.

 

Os homens não melhoram

e matam-se como percevejos.

Os percevejos heróicos renascem.

Inabitável, o mundo é cada vez mais habitado.

E se os olhos reaprendessem a chorar seria um segundo dilúvio.

 

(Desconfio que escrevi um poema.)”

Carlos Drummond de Andrade

34 visualizações0 comentário

Комментарии


bottom of page