Buscar
  • portalbuglatino

Poesia da luz de cada um


O extraordinário mundo dentro de nós,

essa riqueza interior, adora a luz do dia.

Merece virar palavras, frases, poemas.

Cresce e ilumina a vida

quando encontra

uma porta de saída.


1. Poesia indicada pelo Bug Latino


“Canção”


“Não te fies do tempo nem da eternidade,

que as nuvens me puxam pelos vestidos

que os ventos me arrastam contra o meu desejo!

Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,

que amanhã morro e não te vejo!

Não demores tão longe, em lugar tão secreto,

nácar de silêncio que o mar comprime,

o lábio, limite do instante absoluto!

Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,

que amanhã eu morro e não te escuto!

Aparece-me agora, que ainda reconheço

a anêmona aberta na tua face

e em redor dos muros o vento inimigo…

Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,

que amanhã eu morro e não te digo…”


Cecília Meireles



2. Poesia indicada por Maria Lúcia Levert


“A Casa”


"Sei dos filhos

pelo modo como ocupam a casa:

uns buscam os recantos,

outros existem à janela.

A uns satisfaz uma sombra,

a outros nem o mundo basta.

Uns batem com a porta,

outros hesitam como se não houvesse saída.

Raras vezes sou pai.

Sou sempre todos os meus filhos,

sou a mão indecisa no fecho,

sou a noite passada entre relógio e escuro.

Em mim ecoa a voz

que, à entrada, se anuncia: cheguei!

E eu sorrio, de resposta: chegou?

Mas se nunca ninguém partiu…

E tanto em mim

demoram as esperas

que me fui trocando por soalho

e me converti em sonolenta janela.

Agora, eu mesmo sou a casa,

casa infatigável casa

a que meus filhos

eternamente regressam."


Mia Couto

In Tradutor de chuvas

49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo