Buscar
  • portalbuglatino

Poderia ter sido Poesia


Poderia ter sido, poderia ter acontecido. Umas vezes porque não demos o passo, outras vezes a vida quis assim. Guardemos esses “se” longe do nosso coração para não o entristecer. E sempre que recordarmos, que o façamos em belas poesias.


1. Poesia indicada pelo Bug Latino


“se”


“se por acaso

a gente se cruzasse

ia ser um caso sério

você ia rir até amanhecer

eu ia ir até acontecer

de dia um improviso

de noite uma farra

a gente ia viver

com garra


eu ia tirar de ouvido

todos os sentidos

ia ser tão divertido

tocar um solo em dueto


ia ser um riso

ia ser um gozo

ia ser todo dia

a mesma folia

até deixar de ser poesia

e virar tédio

e nem o meu melhor vestido

era remédio


daí vá ficando por aí

eu vou ficando por aqui

evitando

desviando

sempre pensando

se por acaso

a gente se cruzasse…”


Alice Ruiz


2. Poesia indicada por Maria Lúcia Levert


“Adeus”


“É um adeus ...

Não vale a pena sofismar a hora!

É tarde nos meus olhos e nos teus ...

Agora,

O remédio é partir discretamente,

Sem palavras,

Sem lágrimas,

Sem gestos.

De que servem lamentos e protestos

Contra o destino?

Cego assassino

A que nenhum poder

Limita a crueldade,

Só o pode vencer a humanidade

Da nossa lucidez desencantada.

Antes da iniquidade

Consumada,

Um poema de líquido pudor,

Um sorriso de amor,

E mais nada.”


Miguel Torga


Dedicado ao dia de Iemanjá, dia 2 de fevereiro


“O Mar serenou”


“O mar serenou quando ela pisou na areia

Quem samba na beira do mar é sereia

O pescador não tem medo

É segredo se volta ou se fica no fundo do mar

Ao ver a morena bonita sambando

Se explica que não vai pescar

Deixa o mar serenar

O mar serenou quando ela pisou na areia

Quem samba na beira do mar é sereia

A lua brilhava vaidosa

De si orgulhosa e prosa com que deus lhe deu

Ao ver a morena sambando

Foi se acabrunhando então adormeceu o sol apareceu

O mar serenou quando ela pisou na areia

Quem samba na beira do mar é sereia

Um frio danado que vinha

Do lado gelado que o povo até se intimidou

Morena aceitou o desafio Sambou

E o frio sentiu seu calor e o samba se esquentou

O mar serenou quando ela pisou na areia

Quem samba na beira do mar é sereia

A estrela que estava escondida

Sentiu-se atraída depois então apareceu

Mas ficou tão enternecida Indagou

A si mesma a estrela afinal será ela ou sou eu

O mar serenou quando ela pisou na areia

Quem samba na beira do mar é sereia”


Compositor: Antonio Candeia Filho


Clara Nunes cantando

https://www.youtube.com/watch?v=drGewMyo00A

51 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo