top of page
Buscar
  • Foto do escritorportalbuglatino

Documentário “ALBATROZ”/”Albatross” (Vímeo, 2017)


Documentário de uma beleza – e de uma tristeza – explosivas. Fotografia perfeita. Trilha sonora perfeita. Na verdade, nem sei se há algum item que eu não qualificaria como perfeito. Mas o efeito da visão do que a nossa irresponsabilidade modifica do meio ambiente e da confiança evolutiva de milhões de anos que o albatroz tem na sua sobrevivência via oceano em mim foi... devastadora.

A beleza das tomadas, a proximidade que eles conseguiram, a confiança que os albatrozes têm pela natureza – tudo aumentou a minha sensação de torpeza e horror diante dela.

Há uma grande e genial inversão, logo no início do filme, que explica que os rituais de escolha de parceiros entre os albatrozes são refinados e inteligentes. O narrador – e que voz, que performance vocal tem o narrador – nos conta que há uma enorme diferença de percepção da velocidade do tempo, dependendo do tamanho dos cérebros e logo aceitamos que os nossos amigos albatrozes, como são seres inteligentes com um cérebro do tamanho de meia noz, veem o mundo mais lentamente porque o processam mais rapidamente – e aceitamos que a velocidade do filme seja remanejada para a velocidade deles.

Bem, isso modifica tudo. Porque a presença de plástico por todo o oceano cria uma situação desgraçadamente destrutiva para um pássaro que em sua evolução aprendeu a confiar na natureza. Natureza que nós invadimos e enchemos com milhões de toneladas de plásticos. Inclusive os oceanos. Desgraçadamente, inclusive os oceanos.

É um filme a se ver com a família porque precisamos pressionar os governos a grandes mudanças - e somos umas bananas inúteis, no Brasil. Não fazemos nada. A prefeitura de Salvador nunca nos deu um plano consciente para o aproveitamento do nosso lixo e nem tampouco somos capazes da delicadeza de deixarmos nossas latas separadas para os catadores. Não funcionamos. Não vemos. Nossas crianças morrem na rua por balas perdidas e não vemos. Os albatrozes... morrem também.

É muito importante que as famílias estejam prontas para salvarem suas próximas gerações e para isso temos que ver e falar. Não ver o filme com a horripilância de uma matéria, mas com a beleza quase divina de um DOC sobre a efêmera e curiosa vida dos albatrozes, - o que talvez nos ensine a perceber que o planeta não nos aguenta mais.

O planeta não nos aguenta mais e talvez a extrema beleza nos convença das monstruosidades que perpetramos todos os dias – dos moradores de rua que fingimos não ver aos al-ba-tro-zes.

Um filme perfeito - sobre a nossa extrema inconsequência.

Ana Ribeiro, diretora de cinema, teatro e TV


Documentário obrigatório para todas as pessoas, mas em particular nas escolas. Impressionante como já existe desde 2017. Isso significa que as imagens são desse ano e anteriores. Dá medo imaginar como tudo estará agora, em 2023. E daqui para a frente...

Uma trilha sonora intocável - linda, linda. Imagens fabulosas, um lugar paradisíaco. Desde os meus 11 anos – idade com que vi o filme “Bernardo e Bianca” no cinema – que amo o albatroz. Aquele albatroz do filme era afinal igualzinho aos verdadeiros que tão generosamente foram filmados neste documentário. Todo destroncado, desengonçado, engraçado, a aterrar vindo de um voo, a caminhar, mas principalmente a correr para iniciar o voo. Muito fofos. Saberá coisas lindas e surpreendentes deste animal tão especial – o albatroz – e verá como nós estamos a atrapalhar seriamente a sua vida. Suas danças de acasalamento são imperdíveis e sua forma de lidar consigo, com seu par e com seus filhos, um exemplo.

Se prepare, verá extrema beleza, mas também verá o resultado da mão desorganizada e irresponsável humana. Será tocada pela beleza do planeta e será tocada pelo sofrimento, pela dor, pela culpa, pela tristeza. O que os plásticos estão provocando na saúde do planeta, nos seus habitantes, incluindo o próprio humano é aterrador. Imperdível, necessário, um ponto de partida desesperante para mudarmos a nossa forma destrutiva de viver – nós os humanos.

Ana Santos, professora, jornalista


Sinopse: ALBATROSS é uma viagem visual poderosa ao coração de uma tragédia ambiental surpreendentemente simbólica. Em uma das ilhas mais remotas do nosso planeta, dezenas de milhares de bebês albatrozes jazem mortos no chão, com os corpos cheios de plástico. Ao regressar à ilha ao longo de vários anos, a nossa equipa testemunhou os ciclos de vida e morte destas aves como uma metáfora multifacetada para os nossos tempos. Esta história é enquadrada na linguagem vividamente deslumbrante da cinematografia digital de alta definição de última geração, cercada por milhões de pássaros vivos em um dos mais belos santuários naturais do mundo. O espectador experimentará justaposições impressionantes de beleza e horror, destruição e renovação, tristeza e alegria, nascimento e morte, saindo do outro lado com o coração partido e a visão de mundo alterada. Saindo dos modelos estilísticos dos filmes ambientais ou documentários tradicionais, ALBATROSS leva os espectadores a uma visita guiada às profundezas de seus próprios espíritos, transmitindo uma profunda mensagem de reverência e amor que já está alcançando um público de milhões de pessoas em todo o mundo.

—Chris Jordan

Direção: Chris Jordan

Trailer e informações:

https://www.imdb.com/title/tt9914642/


Link do Documentário completo:

https://www.albatrossthefilm.com/watch-albatross

ou

https://vimeo.com/264508490


#docAlbatroz

56 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page