top of page
Buscar
  • Foto do escritorportalbuglatino

Poesia, fique mais um pouco


Clifford Possum Tjapaltjarri

“Quando estou entre as árvores”


"Quando estou entre as árvores,

especialmente entre os salgueiros e os espinheiros-da-virgínia,

mas também entre as faias, os carvalhos e os pinheiros,

elas emitem tantos sinais de alegria.

Eu quase diria que elas me salvam, e diariamente.

Estou tão distante de minhas expectativas sobre mim mesma,

nas quais eu reúno bondade, e discernimento,

e nunca me apresso no mundo,

mas caminho lentamente, e com frequência me curvo.

À minha volta, as árvores agitam suas folhas

e bradam: “Fique mais um pouco.”

A luz flui de seus ramos.

E elas convidam novamente: “É simples,” elas dizem,

“e você também veio

ao mundo para isso, para ir devagar, para ser preenchida

com luz, e para brilhar.”

Mary Oliver

Trad.: Nelson Santander

 

 

“Poema de sete faces”

 

“Quando nasci, um anjo torto

desses que vivem na sombra

disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.

 

As casas espiam os homens

que correm atrás de mulheres.

A tarde talvez fosse azul,

não houvesse tantos desejos.

 

O bonde passa cheio de pernas:

pernas brancas pretas amarelas.

Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração.

Porém meus olhos

não perguntam nada.

 

O homem atrás do bigode

é sério, simples e forte.

Quase não conversa.

Tem poucos, raros amigos

o homem atrás dos óculos e do bigode.

 

Meu Deus, por que me abandonaste

se sabias que eu não era Deus,

se sabias que eu era fraco.

 

Mundo mundo vasto mundo

se eu me chamasse Raimundo

seria uma rima, não seria uma solução.

Mundo mundo vasto mundo,

mais vasto é meu coração.

 

Eu não devia te dizer

mas essa lua

mas esse conhaque

botam a gente comovido como o diabo.

Carlos Drummond de Andrade

35 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page