Buscar
  • portalbuglatino

Poesia fechada e sem fim


Como a vida. Poesia que retrata nossos passos, que fala de nós, das nossas casas, das nossas ruas, dos nossos corações.


1. Poesia indicada por Bug Latino


“Poema Ritual”


“Fecho as janelas desta casa

(seus corredores, seus fantasmas

sua aérea arquitetura de pássaro)

fecho a insônia que inundava

meu quarto debruçado sobre o nada

fecho as cortinas onde a larva

do tempo tece agora sua praga

fecho a clara algazarra plácida

das vozes sangüíneas da alvorada

fecho o trecho taciturno da tocata

a chuva percutindo as teclas do telhado

as sombras navegando pelo pátio

e o bambuzal


Fecho as torneiras da memória


Fecho também a tumultuosa torrente de vida

que poderia ter rompido o cerco das paredes

e feito explodir a argamassa de calcário e solidão


Fecho ainda as lentas pálpebras da amada

o mofo acumulado entre seus lábios

o limo que vestiu sua carne desolada


Fecho tudo e depois me fecho


Estou cansado

estou triste

estou só”


Ivan Junqueira


2. Poesia indicada por Maria Lúcia Levert


"Na minha terra

há uma estrada tão larga

que vai de uma berma à outra.

Feita tão de terra

que parece que não foi construída.

Simplesmente, descoberta.

Estrada tão comprida

que um homem

pode caminhar sozinho nela.

É uma estrada

por onde não se vai nem se volta.

Uma estrada

feita

apenas para desaparecermos."


Mia Couto

36 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo