Buscar
  • portalbuglatino

Poesia e natureza


A dádiva da vida, a energia da natureza, o percurso dos dias. O que cada um acredita, o que cada um vive e sente. As interrogações e certezas de cada um.


1. Poesia indicada por Bug Latino


“Poema Écloga Tropical”


“Entre a chuva de ouro das carambolas

e o veludo polido das jabuticabas,

sobre o gramado morno,

onde voam borboletas e besouros,

sobre o gramado lustroso

onde pulam gafanhotos de asas verdes e vermelhas,


Salta uma ronda de crianças!

O ar é todo perfume,

perfume tépido de ervas, raízes e folhagens.


O ar cheira a mel de abelhas...


E há nos olhos castanhos das crianças

a doçura e o travor das resinas selvagens,

e há nas suas vozes agudas e dissonantes

um áureo rumor de flautas, de trilos, de zumbidos

e de águas buliçosas...”


Ronald de Carvalho


2. Poesia indicada por Maria Lúcia Levert


"Não acredito em Deus porque nunca o vi.

Se ele quisesse que eu acreditasse nele,

Sem dúvida que viria falar comigo

E entraria pela minha porta dentro

Dizendo-me, Aqui estou!

(Isto é talvez ridículo aos ouvidos

De quem, por não saber o que é olhar para as cousas,

Não compreende quem fala delas

Com o modo de falar que reparar para elas ensina.)

Mas se Deus é as flores e as árvores

E os montes e sol e o luar,

Então acredito nele,

Então acredito nele a toda a hora,

E a minha vida é toda uma oração e uma missa,

E uma comunhão com os olhos e pelos ouvidos.

Mas se Deus é as árvores e as flores

E os montes e o luar e o sol,

Para que lhe chamo eu Deus?

Chamo-lhe flores e árvores e montes e sol e luar;

Porque, se ele se fez, para eu o ver,

Sol e luar e flores e árvores e montes,

Se ele me aparece como sendo árvores e montes

E luar e sol e flores,

É que ele quer que eu o conheça

Como árvores e montes e flores e luar e sol.

E por isso eu obedeço-lhe,

(Que mais sei eu de Deus que Deus de si próprio?),

Obedeço-lhe a viver, espontaneamente,

Como quem abre os olhos e vê,

E chamo-lhe luar e sol e flores e árvores e montes,

E amo-o sem pensar nele,

E penso-o vendo e ouvindo,

E ando com ele a toda a hora."


Alberto Caeiro



37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo