O mal-estar destes tempos em que vivemos

O mal-estar destes tempos em que vivemos.

 

As pessoas deixaram de saber e viver o amor compassivo, o genuíno, o puro. Apesar de terem vindo vários mestres, sábios ensinar a viver esse amor... Isso foi-se desvanecendo ao longo dos tempos. Uns porque nem ouviram, outros porque não praticaram e os que escutaram e acreditaram e viveram esse amor, não foram assim tantos que deixassem descendência com o mesmo sentir e vivência. Como tal na minha opinião este amor de que falo, está em extinção e é preciso falar disto, pois é urgente dar um sopro a este fogo que está quase a apagar-se. São raras as pessoas que reconhecem esse amor e o vivem. Mas acontece no entanto uma coisa contraditória que é, reconhecem rapidamente se a pessoa é rica, se é falsa, se é hipócrita, se usa o perfume X, se ouve a música Y, se faz muitas viagens, se tem um ferrari ou um porche, etc, etc. Se reconhecem isso, porque não reconhecem aquilo de que falo? Talvez não tivessem ou não vivessem isso em família ou amigos, vizinhos, comunidade. E é triste, porque depois temos hoje imensas pessoas, tristes, frustradas, depressivas, apáticas, sem sorrisos, sem alegria. É terrível, porque se habituaram a que, ser espetacular, é estar á frente ou acima do outro. As pessoas deixaram de ser simples, e fizeram crer a muitos que a simplicidade é pobre, inculta e não tem graça. Como estão enganadas essas pessoas. E para mim o problema dos problemas que estamos a viver, vem precisamente daí. O Ter, a ganância, a competição, a arrogância, a superioridade, o egoísmo, está a estragar a sociedade. Deixou de haver partilha, de haver convívio entre as pessoas, deixou de haver a transparência, e tanta coisa que fazia as pessoas felizes. Sabem o que vos digo? Não tenho dúvida que é por falta de amor. Pessoas que nunca viveram ou sentiram este amor de que falo, jamais poderão reconhecer o mesmo em alguém. Então deparamo-nos com pessoas que, tão cheias de razão que estão, tão cheias da verdade delas, que se julgam as mais espertas ou inteligentes e pisam outras, ou exploram ou matam os sonhos daqueles que são os puros e os genuínos de coração. E as pessoas começaram a aprender que para serem reconhecidas na vida, é importante ter dinheiro, ter um carro de luxo, ter um casarão, ter, um Super telemóvel, ter roupas de marca, andar na moda, ser Super homem ou Super mulher, ter, ter, ter... Não queria concluir assim este pensamento, mas não tenho alternativa. O mal-estar destes tempos em que vivemos, é provocado por nós. Como tal, só a cada um de nós cabe solucionar este problema de falta de amor compassivo. Como? Deixemos preencher o vazio que há em cada um de nós, com aquilo que de melhor existe, quando é genuíno, puro. Lutemos para ser Super homens e mulher de valores como a humildade, o bem-querer, sem julgamentos, sem hipocrisias, sem modas e acredito que dessa forma, o nosso mal estar acabará. 

 

Carla Cristina Almeida

https://www.youtube.com/user/ccmgra

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes

September 18, 2019

September 16, 2019

August 13, 2019

July 2, 2019

May 22, 2019

January 20, 2019

January 16, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square