Buscar
  • portalbuglatino

A Casa, a Família e o Gato (Episódio 9 de 9)


A Casa, a Família e o Gato

UM CONTO DE QUARENTENA

Episódio 9 de 9


21 horas e 43 minutos

Depois da cozinha arrumada, o Filho regressa ao seu quarto e o Pai e a Mãe dirigem-se para a sala. O Pai leva uma caixa de amendoins que vai descascar e comer enquanto assiste a uma série na televisão. Mesmo varrendo o chão diariamente, há sempre junto ao sofá minúsculos pedaços de casca de amendoim. A Mãe vai buscar a base de cartão onde está a montar o segundo puzzle de 1000 peças e coloca-a em cima da mesa de jantar. A imagem representa uma árvore no outono, com inúmeros pássaros na copa e pessoas em atividades diversas em redor de um lago. Num dos cantos, três vacas a pastar dão um apontamento bucólico à paisagem. O puzzle que terminou antes representava a mesma imagem, mas na primavera, com a árvore em tons de rosa em vez dos amarelos e ocres outonais.

Há dias, num destes serões tranquilos, o Pai abeirou-se da Mãe enquanto ela separava peças e perguntou-lhe se, por vezes, não lhe acontecia pensar se esta situação era mesmo real ou se iam, a qualquer momento, acordar de um sonho esquisito. Ela respondeu que agora já não, mas que permanecia a sensação de irrealidade. Acontecia-lhe parar, perplexa, com a transformação que a vida sofrera. A realidade superara os cenários de ficção e, sem aviso prévio, as pessoas passaram de espectadoras a protagonistas num drama da história da humanidade. A Mãe conta que uma destas noites sonhou muito. Conta ao Pai que, no sonho, chegava ao ginásio para treinar e o quadro estava tão longe que não conseguia ler os exercícios e havia gente e material espalhado por todo o lado e ela estava a ficar enervada e ia começar a protestar, quando a sala se transformou num auditório onde ia começar uma palestra. Então, pelo meio das cadeiras surgiu um veículo todo-terreno, uma espécie de trio elétrico de carnaval, dirigindo-se para o palco, e atrás vinha toda a família para assistir à Filha a cantar uma peça de Beethoven nas festas dos Dias da Música. Tudo era alucinante e confuso, mas ninguém falava de Covid-19 nem de distanciamento social. Ela não estava preocupada com desinfeções e o excesso de proximidade entre as pessoas sem máscara e a única coisa que a angustiava era a falta de organização daquela gente que parecia louca. O Pai puxa-a para perto de si e dá-lhe um beijo na testa e diz-lhe:

- Apesar da sensação de irrealidade que nos acomete às vezes, é preciso manter os pés na terra, o sorriso nos lábios e a fé no futuro. A ver se nos levantamos bem, quando acabar este sonho esquisito.

22 horas e 59 minutos

A Mãe arruma o puzzle e prepara-se para se ir deitar. A caminho do quarto, passando pelo hall, a Mãe fita repentinamente a caixa de cartão ao canto do hall, debaixo da cadeira.

- Ah! A encomenda! – exclama - Tinha-me esquecido completamente dela! Venham ver, é para os três.

O Gato levanta-se de repente, surpreendido com o alarido. Eu sinto a luz do teto a tremer de excitação.

Na indicação do remetente lê-se o nome da Filha. Dentro da caixa estão três embalagens de plástico metalizado colorido. A Mãe distribui os pacotes e cada um abre o seu. São meias com padrões divertidos, escolhidos especialmente para cada um deles. As pantufas e as meias ganharam uma importância acrescida agora que os sapatos ficam à porta de casa, e ter meias especiais deixa-os felizes. Calçam-nas e dispõem-se em roda para tirar uma fotografia aos pés e enviar à Filha, em jeito de agradecimento.

Subitamente, é como se a Filha estivesse com eles, no centro daquele círculo de pés próximos, onde o distanciamento social não se impõe e seguem para as suas camas com as meias novas dos pés.

23 horas e 48 minutos

Estou cansada, não tenho descanso agora, enquanto a família não dorme. Tenho o soalho dorido de tantos passos. O Gato gosta de ter companhia, mas por vezes também procura refúgio nalgum canto reservado, longe de todos os olhos.

Apesar disso, sinto-me orgulhosa por saber que sou o escudo que protege a minha família desse mundo exterior que se tornou hostil, fechado e cruel, que os magoa pela ausência de tudo o que enchia. As ruas estão tristes, as lojas fechadas, vazias, com montras demasiado arrumadas. No parque infantil, os baloiços oscilam ligeiramente com o vento, pesarosos com ausência das crianças.

No exterior, uma barreira que não é física, mas é quase sólida, separa pessoas, que dão passos a recuar cada vez que alguém se aproxima, lembrando a toda a hora que estes não são tempos normais e que os tempos que outrora viveram vão demorar muito a regressar. Com as caras tapadas pelas máscaras tornou-se muito difícil ver sorrisos. As vozes estão abafadas por uma camada de pano e as gargalhadas deixaram de estar livres para se ouvir. Os amigos não se abraçam e o toque passou a ser um luxo.

O futuro permanece carregado de receios e nos vidros das janelas colam-se arco-íris para fazer acreditar que vai ficar tudo bem.

Longe da confusão e do barulho, obrigadas à clausura das casas, obrigadas a abrandar, as pessoas estão a aprender a escutar-se a si próprias e a repensar as coisas que são realmente importantes.

Tal como a Mãe, eu guardo a esperança na humanidade e a crença de que, quando puderem novamente viver sem medos, as pessoas se lembrem que um dia, exatamente na altura em que a distância lhes foi imposta, o medo aproximou-as umas das outras e, na incerteza, foram todas iguais.


Episódio 1

https://www.buglatino.com/post/a-casa-a-fam%C3%ADlia-e-o-gato

Episódio 2

https://www.buglatino.com/post/a-casa-a-fam%C3%ADlia-e-o-gato-epis%C3%B3dio-2

Episódio 3

https://www.buglatino.com/post/a-casa-a-fam%C3%ADlia-e-o-gato-epis%C3%B3dio-3

Episódio 4

https://www.buglatino.com/post/a-casa-a-fam%C3%ADlia-e-o-gato-epis%C3%B3dio-4

Episódio 5

https://www.buglatino.com/post/a-casa-a-fam%C3%ADlia-e-o-gato-epis%C3%B3dio-5

Episódio 6

https://www.buglatino.com/post/a-casa-a-fam%C3%ADlia-e-o-gato-epis%C3%B3dio-6

Episódio 7

https://www.buglatino.com/post/a-casa-a-fam%C3%ADlia-e-o-gato-epis%C3%B3dio-7-de-9

Episódio 8

https://www.buglatino.com/post/a-casa-a-fam%C3%ADlia-e-o-gato-epis%C3%B3dio-8-de-9

A Casa, a Família e o Gato

UM CONTO DE QUARENTENA

Cláudia Quaresma

https://agajanaochora.blogspot.com/


Fotos de Tiago Lourenço e de Cláudia Quaresma

@the.tiagolourencoph

108 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo